home Notícias Alimentos coloridos precisam de cuidados

Alimentos coloridos precisam de cuidados

Alimentos coloridos precisam de cuidados – A aparência dos alimentos que consumimos precisa despertar em nós o desejo de consumi-los. Sorvetes, biscoitos, salgadinhos, ficam bem melhores quando sua cor é atraente e chamativa. Por isto a indústria utiliza largamente corantes naturais e artificiais, adicionando-os aos seus produtos para torná-los atraentes aos olhos do consumidor. Os corantes são essenciais para que este processo funcione adequadamente.

 

Classes de corantes

 

Eles podem ser divididos em três grandes classes básicas:

  • Corante Natural: pigmento ou corante inócuo extraído de substância vegetal ou animal.
  • Corante Caramelo: obtido a partir de açúcares pelo aquecimento e temperatura superior ao seu ponto de fusão e posterior tratamento indicado pela tecnologia.
  • Corante Artificial: substância obtida por processo de síntese.

 

Para esta matéria nossa atenção está voltada aos corantes artificiais, notadamente a Tartrazina. Precisamos entender um pouco da evolução dos corantes, que passaram a ser fabricados a partir do século XVIII (alguns, inicialmente, derivados da hulha) e principalmente no século XX. A indústria norte-americana, por exemplo, chegou a ter 700 substâncias diferentes no início do século XX. Devido aos problemas que causavam aos consumidores foram reduzidos aos atuais nove e mais dois de uso restrito. Estes corantes são utilizados na maioria dos países, sendo os mesmos adotados no Brasil.

Com o uso constatou-se que corantes artificiais não agregavam valor nutricional, sendo introduzidos exclusivamente para conferir cor ao alimento ou bebida. Em alguns casos, para disfarçar a má qualidade dos produtos. Por esse motivo, entre outros, esses corantes não são recomendados do ponto de vista da saúde.

Os corantes artificiais podem causar:

  • desde simples urticárias
  • passando por asmas
  • e reações imunológicas
  • hiperatividade
  • alteração no metabolismo
  • chegando até ao câncer, comprovado em animais de laboratórios.

 

Corantes permitidos no Brasil

 

No Brasil, os corantes artificiais permitidos são:

o amarelo crepúsculo

  • azul brilhante
  • vermelho bordeaux ou amaranto
  • vermelho eritrosina
  • azul indigotina
  • ponceau 4R
  • vermelho 40
  • e amarelo tartrazina.

 

Estes apresentam boa estabilidade a vários fatores Porém têm seu uso limitado pela legislação porque em excesso podem ser prejudiciais à saúde. A ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) é o órgão que no Brasil determinou a ingestão diária aceitável (IDA) de cada corante. No entanto, esses valores estão sujeitos a alterações contínuas dependendo dos resultados de estudos toxicológicos.

 

Tartrazina

 

A tartrazina apresenta excelente estabilidade à luz, calor e ácido, descolorindo em presença de ácido ascórbico e SO2. Dentre os corantes Azo(*), a tartrazina tem despertado uma maior atenção dos toxicologistas e alergistas, sendo apontado como o responsável por várias reações adversas, causando desde urticária até asma. Estima-se que uma em cada 10 mil pessoas apresente reações a esse corante. Provavelmente, de 8% a 20% dos consumidores sensíveis à aspirina, são também sensíveis a tartrazina. Entretanto, é um dos corantes mais empregado em alimentos e é permitido em muitos países, como Canadá, Estados Unidos, União Europeia e Brasil.

É consenso que a melhor alimentação é a natural. Quando não for possível, os melhores corantes deveriam ser também naturais. Com um público cada vez mais exigente e informado, a indústria tem detectado a necessidade de aprimorar seus processos, evitando o uso de corantes artificiais e incentivando a pesquisa em busca de corantes naturais (os mais comuns são: o carmim, cochonilha, urucum e cúrcuma, já bastante utilizados).

Embora muita coisa precise ser feita neste sentido, é evidente que a preocupação existe, tanto pela indústria quanto pelo consumidor. O melhor a fazer, por enquanto, é verificar sempre o rótulo da embalagem de seus produtos. Quando puder, evite o corante artificial e escolha sempre os naturais de boa procedência.

 


(*) Corantes Azo, são corantes orgânicos sintéticos e compreendem vários compostos que apresentam um anel naftaleno ligado a um segundo anel benzeno por uma ligação Azo (N=N). Esses anéis podem conferir um, dois ou três grupos sulfônicos. Esse grupo representa a classe de corantes sintéticos em alimentos, mais importante e utilizado (conforme Aditivos & Ingredientes, 2009).

Atualizado em 01Mar21

Fonte: RMA

Imagem: Reprodução


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *